Paulo

Paulo

ELEIÇÕES 2018: COMO A POPULAÇÃO SE INFORMA SOBRE OS SEUS CANDIDATOS?

Estamos no meio de uma das mais importantes campanhas eleitorais da recente democracia brasileira e os resultados até o momento são ainda totalmente imprevisíveis. Fake news, candidato preso, candidatos sendo presos em plena campanha, candidato que sofreu atentado, lava jato, escândalos e mais escândalos de corrupção, enfim são muitas variáveis inéditas que colocam as estratégias de comunicação de cada candidato nesse pleito em alerta permanente. Mas afinal como a população se informa sobre os fatos, as pretensões e os planos de cada candidato na disputa?

Recente pesquisa desenvolvida pelo CNI / IBOPE mostra claramente que a principal fonte de informação da população brasileira é a televisão, atingindo o percentual de 62%, sendo que 25% dos entrevistados afirmaram ser também a sua única fonte de informação. Sim na era digital, da internet e das redes sociais, a televisão continua reinando absoluta. Em segundo lugar com 33% aparecem os blogs e as redes sociais, seguidos pelo rádio com 17% e os jornais e revistas com os mesmos 17%. A indicação de colegas, parentes e amigos aparece com 10%. A propaganda política no horário eleitoral em si fica com apenas 6% da preferência. Por fim aparecem as reuniões de igreja, associação de moradores, sindicatos e associações profissionais com 3% cada uma.

Esses dados fecham com outra pesquisa recente, a CENP Meios, que mostra como os principais anunciantes do Brasil investem as suas verbas de comunicação. A televisão novamente aparece em primeiro lugar com 58,3% dos investimentos totais, seguido pela internet com 14,6%, a televisão por assinatura com 7,9% e a mídia exterior com 8,6%. Isso comprova que as telas, sejam de TV ou de smartphone, são os grandes drivers de atenção do consumidor e do eleitor brasileiro. Esse fato também acontece em vários países desenvolvidos pelo mundo, como EUA e Japão, e muitos da Europa com exceção do Reino Unido, onde a internet está quase ultrapassando a televisão. Acesso rápido a entretenimento e conteúdo de qualidade com variedade, é isso que as pessoas buscam.

Com esses dados podemos concluir facilmente que a televisão ainda exerce um grande poder de influência sobre os eleitores e consumidores no Brasil. A internet vem crescendo a cada ano, mas ficar de fora da televisão pode ser uma tática de alto risco para qualquer candidato ou qualquer empresa que precisa divulgar a sua marca para a grande massa da população brasileira. Afinal são mais de 30 milhões de eleitores que ainda não acessam a internet. Isso é muito mais do que o total de votos que os candidatos podem ter no primeiro turno. Outro aspecto importante é que não basta apenas estar na televisão, é preciso também oferecer ao público um conteúdo interessante e relevante para atrair a sua atenção e despertar o seu interesse. Nesse ponto, o trabalho preciso da assessoria de imprensa de cada candidato é cada vez mais fundamental, pois a maior parte das notícias veiculadas sobre os candidatos é definida pelas equipes editoriais e de jornalismo de cada canal de televisão. O horário político eleitoral não tem muita relevância em relação a ser uma fonte de informação da população brasileira, sendo assim os candidatos que possuem mais tempo no horário eleitoral não tendem a ter tanta vantagem assim.

Seja você um candidato ou uma empresa que precisa divulgar os seus produtos é importante ficar muito atento as essas informações pois concentrar os esforços de comunicação nos canais errados pode ser muito desastroso para qualquer campanha de comunicação. Planejamento é fundamental para saber onde e de que forma divulgar para atingir os resultados esperados.

Leia Mais

ENTREVISTA EXCLUSIVA – EMMERSON NOGUEIRA

A equipe da Z/Quattro Publishing teve o privilégio de entrevistar, com exclusividade, o cantor, violonista, compositor e produtor musical mineiro Emmerson Nogueira, conhecido internacionalmente pelo seu projeto Versão Acústica, que apresenta releituras de clássicos do rock internacional. São dezessete anos de carreira e mais de dois milhões de CDS e DVDs vendidos. Essa entrevista faz parte do conteúdo da Edição 19 da Revista Som Maior.

  • São dezessete anos de estrada e um projeto fantástico, aclamado pela crítica e pelo público, que é o Versão Acústica. Conte-nos um pouco sobre quando e como surgiu esse projeto e sobre os seus planos futuros.

O projeto começou em 2001, quando foi lançado o primeiro volume da série Versão Acústica pela gravadora Sony Music. Naquela época, o comércio online ainda estava dando os seus primeiros passos, mas o site da gravadora Sony já disponibilizava vários discos dos seus artistas para venda dessa forma. Em poucos meses após o lançamento o primeiro volume da série já estava na lista dos cinco mais vendidos pelo site e isso despertou a curiosidade não só dentro da própria gravadora, mas também de um público que estava acostumado a ver como os mais vendidos somente grandes artistas de renome e com grande projeção midiática. O Versão Acústica era o oposto de tudo isso e acredito que esse também foi um dos grandes impulsos para o sucesso que o projeto conquistou.

  • Você está gravando um novo DVD atualmente. Pode nos contar um pouco sobre esse projeto? Quando será lançado?

Eu gravei dois DVDs. O primeiro em 2007, em São Paulo, apenas para convidados, e o segundo em 2010, também em São Paulo, mas dessa vez numa casa de shows para um público maior. Nesse novo projeto optei por gravar no meu estúdio em Minas Gerais para criar uma nova atmosfera de imagens e de sons. O DVD conta com a participação de grandes amigos que fizeram e ainda fazem parte da minha história com a música. Além de ser bem intimista, ele também mostra um pouco o processo de criação dos arranjos junto com os músicos convidados, o que cria uma espécie de filme ou documentário sobre a gravação. A Sony ainda não tem a data oficial para o lançamento, mas acredito que seja no primeiro semestre deste ano.

 

  • Você poderia falar um pouco sobre o seu estúdio de gravação? Você utiliza as caixas Bowers & Wilkins, correto? Por que a escolha dessa marca específica?

O meu estúdio fica no alto de uma serra no meio de uma mata que venho conservando desde 2005, para que o ambiente seja cada vez mais ligado com a natureza, o que na minha opinião traz um ar literalmente diferenciado para o meu estúdio, já que normalmente os estúdios ficam dentro de ambientes fechados na selva de pedra das cidades grandes. As caixas e fones Bowers & Wilkins são usados no meu estúdio e também na minha casa como referência sonora para todos as gravações. Seu som é refinado e puro, além de respeitar tecnicamente os timbres originais de qualquer instrumento, proporcionando uma excelente condição para a avaliação final da qualidade das gravações.

 

  • Na sua trajetória musical quais foram e/ou quais são atualmente as suas principais referências em termos de estilos, cantores, artistas e bandas?

Eu tive muitas influências ao longo da minha carreira e ainda procuro novas referências até hoje. O meu dia a dia é praticamente voltado para pesquisa de novas bandas e sons. As plataformas digitais proporcionam grandes resultados para essas pesquisas e cada vez mais tenho novos artistas e bandas na minha playlist. Mas clássicos e gênios, como Tom Jobim e Milton Nascimento, estão presentes na minha vida diariamente.

  • Na sua turnê atual “17 anos de estrada, mais amigos e mais canções” como você definiu a escolha das músicas para os shows? Alguma música em específico é mais solicitada pelo público?

O show continua sendo uma espécie de passeio por todos os doze CDs e dois DVDs que gravei, proporcionando uma pequena viagem no tempo para que as pessoas que acompanham meu trabalho desde o início possam se divertir e ao mesmo tempo viajar nas suas próprias recordações de cada música durante o show, que tem aproximadamente trinta músicas e quase duas horas de duração. “Hotel California”, da banda The Eagles, e “Wish You Were Here”, do Pink Floyd, sempre foram as mais pedidas.

  • Quais artistas, cantores e /ou bandas atuais (nacionais e internacionais) você gosta de escutar?

 Sobre as coisas atuais eu sou um grande fã da banda 5 a Seco, pois um acho uma música que representa muita bem a nova geração da música brasileira. Também sei que existem muitos outros grandes representantes da nossa música atual, mas prefiro citar apenas a que ouço mais no momento. Quanto as internacionais, sou grande fã da música da Islândia, que de cada vez mais invade o mundo com a sua música do gelo. Sigur Rós é a minha banda preferida, mas não é tão atual. Tenho ouvido desde 2014 um cantor chamado Ásgeir, que também é da Islândia e o considero incrível! Também sou um grande fã da música da Austrália e tenho como um dos meus favoritos, o cantor e compositor Lior, que inclusive tive o prazer de gravar uma canção dele no meu disco Dreamer, lançado em 2008.

Leia Mais

MARKETING DE INFLUÊNCIA: TENDÊNCIA OU REALIDADE?

O Marketing de Influência é uma ferramenta que vem crescendo e se desenvolvendo diariamente no Brasil. Não é mais apenas uma tendência e sim uma realidade que está trazendo muitos resultados positivos para diversas marcas. Um recente estudo da Revista Forbes apontou os principais influenciadores do Instagram, aqueles que mais cobram por seus posts. O jogador Neymar ficou em 8 lugar, cobrando em média 600 mil dólares por um post para os seus milhões de seguidores. O conceito é bem simples: utilizar a liderança de indivíduos que exerçam determinado nível de poder de influência sobre os compradores da sua marca ou do seu produto para interferir positivamente no processo de aquisição do seu produto ou serviço ou na divulgação e construção da sua marca. É o famoso e tradicional boca a boca que conhecemos, só que agora em proporções inimagináveis anteriormente, que somente a internet consegue alcançar.

Se você está pensando em comprar um determinado produto normalmente você gosta de ouvir a opinião de amigos, conhecidos ou de especialistas no assunto. Isso gera para você mais segurança no sentido de estar realmente comprando um produto ou um serviço de qualidade e de confiabilidade. Por exemplo se você é jovem adolescente e está querendo comprar uma guitarra, mas está indeciso sobre qual marca escolher, provavelmente irá pesquisar alguns guitarristas nas redes sociais para verificar qual a marca que eles utilizam. Se nessa busca você encontrar uma recomendação de um guitarrista famoso com certeza isso exercerá uma grande influência sobre o seu processo de compra.

Os influenciadores digitais possuem exatamente esse papel: analisar produtos e serviços de diversas marcas, utilizar esses produtos no seu dia a dia e dessa forma fazer recomendações para os seus seguidores, numa relação baseada na confiança e na credibilidade. Obviamente contratar um influenciador “super famoso”, com milhões de seguidores, para a sua marca não é uma ação necessariamente barata e nem todos os budgets suportam esse tipo de ação. Mas existem influenciadores “menos famosos” que possuem uma alta taxa de engajamento com o seu público e são com certeza muito mais acessíveis. Na realidade existem influenciadores digitais para todos os tamanhos de budget.

O ponto principal a ser considerado numa ação de marketing de influência é se o público alvo do influenciador é o mesmo público alvo da sua marca. Não adianta contratar um influenciador com milhões de seguidores mas que somente uma pequena parcela desses são o perfil do seu público-alvo. Outro aspecto importante é analisar o histórico do influenciador no sentido de avaliar a sua forma de comunicação com o seu púbico. Se a sua marca, por exemplo, tem uma característica mais formal e séria não adiantar contratar um influenciador que é totalmente despojado e informal da sua comunicação verbal e não-verbal.

O importante é entender que o marketing de influência funciona e muito bem. Milhares de marcas estão utilizando essa ferramenta a seu favor e conquistando excelentes resultados e novos consumidores a cada dia. E você vai fiar de fora?

Leia Mais

REVISTA SOM MAIOR – EDIÇÃO 20 – HIGH END SHOW 2018

A Revista Som Maior Edição 20 já está em circulação. A Z/Quattro Publishing preparou uma edição super especial que apresenta o High End Show 2018 como matéria de capa. Você pode conferir também uma matéria sobre a verdadeira história de Amy Winehouse, uma entrevista exclusiva com Pavel Kazarian – Diretor Geral da Escola do Balé Bolshoi no Brasil, uma entrevista com Massimo Zecchin – Diretor de Vendas Internacionais da SIM2, uma reportagem especial sobre o Grammy Awards e outras matérias do universo do áudio, vídeo e automação high-end.

Leia Mais

QUAIS SÃO AS DUAS COISAS MAIS CARAS DO SÉCULO XXI?

Você sabe quais são as duas coisas mais caras do século XXI? Com certeza a primeira é o tempo, pois na vida turbulenta dos dias atuais ninguém tem tempo a perder e todos gostariam de ter mais horas no dia para dar conta de tudo o que tem a fazer. A segunda é a atenção, pois conseguir que alguém preste atenção em você tem muito valor! Se as pessoas não prestarem atenção no que você tem a dizer, não entenderão o seu valor e não comprarão o que você tem para vender, por melhor que seja. Isso vale para uma empresa, uma marca, um produto, um serviço e para profissionais liberais e empreendedores de diversos segmento do mercado.

Mas afinal qual é a solução para conquistar o tempo e a atenção das pessoas? A resposta é simples: conteúdo. O conteúdo é a moeda que compra o tempo e a atenção das pessoas no século XXI. Afinal para o consumidor acabou a dependência dos poucos canais de tv, dos poucos jornais, revistas e rádios como fonte de informação. Ele ganhou o controle do que quer consumir e quando quer consumir, 24 horas por dia, 7 dias por semana. Ele tem acesso a uma infinidade de vídeos, web sites, reviews e comentários. E se há o controle ficamos cada vez mais intolerantes com a interrupção dos anúncios tradicionais. Sem conteúdo relevante a sua marca e a sua empresa definitivamente não terão mais espaço na cabeça dos consumidores. Você já parou para pensar nisso?

A sua empresa tem a oportunidade hoje de produzir o seu próprio conteúdo e com isso criar uma verdadeira máquina de vendas, se tornar autoridade na sua área de atuação e com isso gerar crescimento previsível e sustentável. O marketing de conteúdo é uma técnica que cria e distribui conteúdo de valor, relevante e consistente, para atrair e engajar uma audiência claramente definida, com o objetivo de encaminhar o cliente a tomar alguma ação que gere lucro. Com o marketing de conteúdo, empresa e cliente namoram, ficam noivos e se casam. E diante da permissão, se continuarem se atendendo e se respeitando, viverão felizes para sempre. Através de uma boa estratégia de conteúdo, você ganha o interesse das pessoas, ao invés de comprá-las. Veja a seguir alguns benefícios de uma estratégia de conteúdo bem planejada e executada:

  1. Melhora substancial no relacionamento com os clientes e prospects
  2. Prepara os prospects para o momento da compra do seu produto
  3. Diminui o custo comercial e facilita o trabalho da equipe de vendas
  4. Permite cobrar mais pela criação de uma percepção positiva da marca
  5. Aumenta consideravelmente o engajamento com a sua marca
  6. Processo mensurável para avaliar a eficácia e retorno das ações
  7. 62% mais barata do que os meios tradicionais e 3x mais efetiva

Mas para isso é importante seguir também algumas dicas importantes:

  1. Marketing de conteúdo não é uma iniciativa isolada
  2. É um esforço contínuo e constante de toda a equipe envolvida
  3. O foco do conteúdo não deve ser nos serviços que você deseja vender
  4. O foco deve ser nas dores e problemas do cliente e como resolvê-los
  5. O cliente deve procurar a empresa e não o processo inverso
  6. Os meios digitais são ferramentas facilitadoras do processo

Portanto pense em desenvolver uma estratégia de conteúdo para sua marca que gere valor para os seus clientes, que faça com que eles percebam que você é autoridade na sua área de atuação e que acima de tudo ajude a resolver as suas dores e os seus problemas. Sem esse foco a sua comunicação estará totalmente desalinhada com a nova dinâmica da comunicação do século XXI.

Leia Mais

VOCÊ ESTÁ INVESTINDO CORRETAMENTE A SUA VERBA DE COMUNICAÇÃO E MARKETING?

O investimento em ações de marketing e comunicação normalmente representa uma fatia significativa do orçamento de pequenas, médias e grandes empresas, principalmente para os fabricantes de bens de consumo final, empresas prestadoras de serviços e comerciantes, que precisam divulgar a sua marca para o público em geral. Nesse contexto é muito importante saber se o investimento está sendo feito da maneira correta, ou seja, nos meios e nas mídias mais adequados para atingir o seu público-alvo. Lógico que cada negócio, cada marca, cada produto tem as suas próprias características intrínsecas e atinge públicos específicos. Mas no geral podemos analisar alguns dados importantes que podem nos ajudar a avaliar se estamos no caminho certo. No mundo onde pensamos que toda comunicação é feita pela internet, podemos ter algumas surpresas muito interessantes.

Um recente estudo publicado pelo Grupo de Mídia de São Paulo em parceria com o Kantar IBOPE mostra como foi a distribuição do investimento em mídia no Brasil no ano de 2017. O volume total de investimento por parte dos anunciantes foi de R$ 134.089.406,00. A mídia televisão aberta continua na liderança, com o maior volume de investimento, totalizando 53,6% do total. Uma leve queda em relação ao ano de 2016 quando o percentual foi de 55,1%. A televisão por assinatura aparece em segundo lugar com 13,2%. Em 2016 esse percentual foi de 12,6%. Dessa forma percebemos que a soma das mídias televisão aberta com televisão fechada representa nada mais nada menos do que 66,8% do volume total de investimentos.

O jornal aparece em terceiro lugar com 11,6% do volume total, percentual praticamente igual ao ano anterior, quando o percentual foi de 11,7%. As ações de merchandising na televisão aparecem na sequência, em quinto lugar, com 5,6%. A Internet aparece somente em sexto lugar com 4,6% do volume total. Esse percentual é dividido entre Search (mecanismos de buscas) com 1,7% e Display (anúncios em sites) com 2,9%. Logo depois vem o Rádio com 4,5% e a mídia Revista com 3,5%. A mídia OOH (out of home), que compreende todas as ações consideradas de mídia exterior, fica com 3,0%. Para finalizar na última posição fica o Cinema com apenas 0,4% do volume total de investimento.

Mas afinal o que esses números podem nos indicar? Claramente nos mostram que embora o mundo todo fale praticamente apenas de Internet e muitas pessoas acreditam que a mídia tradicional não funciona mais, isso não é totalmente verdadeiro. A maior parte das verbas publicitárias ainda são destinadas as mídias tradicionais, mesmo com todo o crescimento da internet no Brasil. Obviamente as pequenas e médias empresas muitas vezes não tem recursos financeiros para investir nas mídias tradicionais e acabam optando pela Internet por ser mais acessível. Mas é preciso tomar cuidado com essa estratégia e avaliar bem o resultado das ações e comparar com as outras opções existentes. No conceito de comunicação integrada é importante não apostar todas as suas fichas em um único meio e sim distribuir a verba disponível nos meios mais adequados para atingir com precisão o seu público alvo. Muitas vezes o barato sai caro no final das contas.

É importante avaliar bem o comportamento do seu público no dia a dia. Não bastar apenas saber a faixa etária, a região geográfica e outros dados demográficos. O perfil comportamental do seu cliente é fundamental para você direcionar as sus ações de comunicação da maneira mais assertiva possível. Afinal estamos falando de investimento em comunicação, na marca do seu produto ou da sua empresa e como todo investimento é preciso fazer bem feito para que os resultados sejam os esperados.

Leia Mais

Materiais KAJ Construtora

A Z/Quattro Branding e a Z/Quattro Digital desenvolveram os materiais de lançamento do primeiro empreendimento da KAJ Construtora, o Residencial Ville Cannes. As peças principais criadas foram o folder impresso de apresentação do empreendimento e o web site institucional da empresa. Os materiais apresentam um layout clean e moderno que procura valorizar os detalhes estéticos e funcionais do empreendimento.  Acesse o web site no endereço www.kajconstrutora.com.br [···]

Leia Mais

Revista Som Maior – Ed.15 – Maria Rita

A Z/Quattro Publishing lançou o final do ano passado a edição 15 da Revista Som Maior, que apresenta na capa a cantora Maria Rita, filha da gloriosa Elis Regina. Ela concedeu uma entrevista exclusiva para essa edição da revista. Outras matérias também são destaque: uma reportagem sobre a história do Soul, a trajetória do astro David Bowie, um projeto sensacional de sonorização náutica e um texto mais técnico sobre os novos avanços em reprodução de video high end. Vale a pena conferir. [···]

Leia Mais